quarta-feira, junho 29, 2005

Para ti.

Continuo a ter saudades tuas. Tenho saudades tuas mesmo quando estou contigo porque ver-te no meio da multidão numa cidade agitada não mata as saudades de te sentir invadires-me á bruta como sabes que eu gosto, de me apertares a cintura com a força que tu sabes que me deixa louca, dos beijos apaixonados que me dás quase como se quisesses arrancar a minha boca para ti, dos pingos de suor que caem nas minhas costas, dos teus dentes na minha nuca e os meus cabelos na tua mão, do teu corpo cansado em cima de mim.
Mas principalmente sinto falta de adormecermos no fim, juntos. De dormir uma noite inteira com o teu calor e o teu cheiro e acordar-te como eu sei que tu gostas.

Adoro-te.

Hoje

Hoje a tua voz soou uma nuvem de tristeza
E em jeito de poesia senti vontade de te falar de sentimentos
Sentimentos de mim para ti
Aqueles que de tão fortes nem consigo falar-te
Mas de mansinho, e iludindo a minha vontade de chorar, dir-te-ei ao ouvido:
A minha ternura por ti é imensa
Um carinho que se sente ao toque das nossas mãos
Uma saudade que peço sempre ao vento que te traga até mim.
Uma verdade sempre presente em todos os meus gestos.
Paixão e loucura sempre envoltos em ternura
E, no eco das minhas palavras dir-te-ei:
Sou feliz porque te tenho