segunda-feira, agosto 22, 2005

no fundo...

Regressei mais uma vez de umas merecidas férias. Diverti-me, descansei e tentei não pensar em tristezas.
Já podia cá ter vindo mais cedo, mas este blog lembra-me coisas tristes, é como se estivesse a pôr o dedo na ferida e eu não gosto cá de lutos…
Pensei até em desistir de cá vir, mas estou viciada demais e é aqui que eu posso “dizer” o que me vai na alma… Sinto a falta dele, claro. Nem vou enumerar tudo aquilo de que sinto falta, seria tortura, masoquismo.

Estou-me a esforçar muito para esquecer, mas ao mesmo tempo não o quero fazer. Quero que todos aqueles momentos sejam eternos, que estejam sempre presentes na minha cabeça, no meu coração, no meu corpo.

Por amor a mim, quero me manter longe de tudo. Preciso.
Deitei fora a escova de dentes dele, guardei no fundo de uma gaveta a tanga que me ofereceu e que ele tanto adorava. Na gaveta guardei também a imagem do sorriso dele cada vez que me via nua.
E agora só espero ser forte o suficiente para deixar tudo lá no fundo.
Entretanto, estou muito carente. Quero me apaixonar mas ao mesmo tempo tenho medo.

Porque é que, no fundo, eu não consigo aceitar que acabou?