terça-feira, janeiro 24, 2006

"Tu foste"

Ao que eu cheguei. Depois de tentar cunhas, conhecimentos, Internet etc, etc, decidi ir pessoalmente procurar trabalho nos bares. Acho que nunca fiz figura tão ridícula em toda a minha vida. (pelo menos, sóbria…) Se ao menos os gerentes não fossem velhos…
*Boa noite, o senhor é o gerente?
*Sim, boa noite…
*Desculpe, queria só fazer uma perguntinha rápida….estão a precisar de barmaid para os fins-de-semana?
*…. Er…eh…não….agora não…
*Ok, obrigada e desculpe, boa noite…
*Mas olheeeeeeeeeeeeee, se quiser deixar o seu número…
E foi assim em quase todos os bares de santos. Nunca pensei chegar a este ponto…

E as concentrações motards tinham que voltar á 24 de Julho por alma de quem?! Já não tinham arranjado outro sítio para poisar?!
Que raiva! Mudei de faixa, atrapalhei-me, acelerei, travei, disse palavrões…e o semáforo?! Vermelho, claro! Mesmo lá no meio das motas…Não te vi, graças a Deus.
Hoje encontrei nas palavras de outra pessoa, um bom resumo para o que “Tu foste”:

Poema que nunca assinei
Ilusão que nunca esqueci
Paisagem que sempre desejei
Meta que sempre persegui

Sonho que tentei realizar
Passado que nunca irei esquecer
Lua que não consegui alcançar
Esperança que nunca quis perder

Livro que tentei ler
Problema que não resolvi
Soneto que não finalizei

Luta que tentei vencer
Fogo no qual ardi
Alguém que muito amei…

Foto em www.olhares.com
Autor: Rosário Pires, in Destak