terça-feira, maio 09, 2006

TPM

Tenho a cabeça a mil. Estou cheia de dúvidas, completamente baralhada.
Já nada é como era, é a sensação que eu tenho. Chego a casa e não está lá ninguém. Não é que não goste, mas não estava habituada. Sinto-me perdida, contente e orgulhosa ao mesmo tempo.

E se há uns dias me sentia a mulher mais feliz do mundo por muitas razões, hoje estou cheia de medo. Aterrorizada, mesmo.
Como se a felicidade tivesse passado por mim e eu a tivesse deixado fugir! Ou pior, como se eu a estivesse de alguma forma a mandar embora.
Será que eu fiz alguma coisa e não me lembro? Será que eu mudei? Será que eu falhei?
Por muito que eu tente “ver” as coisas, analisá-las e fazer um ponto de situação, está tudo turvo. Não vejo pessoas, vejo vultos. Não sei o que pensam nem eu sei o que penso delas. Não consigo ver nada com nitidez e faço um esforço brutal para me manter lúcida.
Culpo-me pelo que se passa á minha volta e neste preciso momento em que escrevo sinto-me a enlouquecer como se nada disto fizesse sentido e a cabeça dói-me.
Hoje acordei de manhã e sozinha no quarto, disse em voz bem alta: “Foda-se, Caralho!”.

E digo eu que não costumo ter TPM. Então o que é isto? Porque é que me sinto a carregar o mundo ás costas?

Se ao menos estivesses aqui para me abraçar … para me ouvir desabafar sobre a minha loucura passageira …