terça-feira, maio 16, 2006

Visão

A TPM foi-se embora e a M levou com ela a T…

Há dúvidas que se mantêm na minha cabeça, mas agora percebo que não sou eu que vejo turvo, que estava preocupada sem razão. A culpa não é minha, eu continuo a ser a mesma. Os outros é que mudaram, vêem a realidade ao contrário. Ou se calhar vêem bem, mas não vêem a mesma que a minha ou a que era nossa. Percebo perfeitamente que a perda de visão é um dos efeitos secundários da paixão; que o amor é cego e vê…percebo isso tudo, por isso não me vou preocupar mais. Resta-me estar aqui á espera e rezar para que tudo corra bem. Porque é a felicidade dos que amo que me faz a mim feliz.


E por falar em visão…
Saí do comboio. Na estação, àquela hora, bate o sol forte da manhã e no vidro vi reflectida a minha imagem. Vi uma Mulher.
Não era eu, não era a menina que eu acho que os outros ainda vêem em mim ou viam. A que eu vejo nas fotos antigas...
E se há dias que morro de saudades da menina e que tenho medo de envelhecer, há outros, como o de hoje em que me orgulho de ser o que sou e de saber o que sei.
Estou cansada. Ás vezes sinto que não vou aguentar mais, mas se não fosse assim, não era eu. Raramente falto a um compromisso e faço das tripas coração para estar em todo o lado, para chegar para toda a gente. Dou voltas á cabeça a tentar conciliar horários com pessoas e sítios para conseguir fazer tudo.
E agora penso: para quê? Será que alguém me dá mais valor por isso? Não vejo os outros fazerem o mesmo por mim.

Mas eu sou assim. Estarei errada? Acho que não.
Devo estar é a precisar de férias.