segunda-feira, junho 19, 2006

Regressei hoje de umas longas e merecidas férias, não tinha saudades nenhumas do despertador, nem do comboio e muito menos do escritório. Depois de dar uma olhadela nos 493 e-mail’s que tinha e de organizar as facturas, tinha de vir escrever.
Já tinha saudades deste cantinho, onde eu posso (ou podia?) escrever tudo o que se passa na minha vida, na minha cabeça, no meu coração… E o meu coração está triste. Muito triste. Desiludido.

Está provado cientificamente, e lembrou-mo a Marta Crawford, que quando estamos apaixonados, o nosso corpo liberta uma substância que transmite ao cérebro uma sensação de dependência e de obsessão incontrolável, este sentimento dura normalmente entre 18 a 30 meses.
Eu estou apaixonada, não nego nem escondo, não preciso. Mas há coisas que não entendo, para as quais não encontro uma explicação lógica. A angústia de procurar respostas para as minhas perguntas está-me a consumir, deixa-me exausta.

Relaxo não é? Tenho tentado, mas está difícil.
Se ao menos soubesse que tens tantas saudades minhas como eu tenho tuas...